Folclore Popular de Penha – Danças, Folguetos e Festas


Tudo começou em 1985, como uma pequena iniciativa de amigos querendo brincar o carnaval em Penha com um “bloco dos sujos”, como os que haviam em várias partes do Brasil: grupo de foliões onde homens se fantasiam de mulher, e mulheres se fantasiam de homens. O que eles não podiam imaginar é que, 35 anos depois, aquele bloco viraria a marca registrada do Carnaval de Penha, sendo considerado inclusive o segundo maior Bloco dos Sujos da região da Amfri, só perdendo para o Navegay (e este é um dos maiores do Brasil).

O Bloco dos Sujos surgiu por amantes do carnaval, aqui em Armação, a mais de 3 décadas. Acontece os ensaios na praça da Capela de São João Batista de Armação do Itapocoróy e no domingo de carnaval também sai das proximidades da Igreja pela Av. São João num desfile indo até a Praça do Coreto, juntando aproximadamente 5.000 pessoas.

Em torno de 30 integrantes que compõem a Bateria do Bloco realizam 2 ou até 3 ensaios semanais, na Praça da Capela, a partir das 20h. Os ensaios são comandados pelo folião e atual Presidente do Bloco, Beto Leite. Ele é um dos fundadores do Bloco, que nasceu em 1985 por influência do Navegay. “Por quê não ter um Bloco dos Sujos em Penha também. Foi essa a nossa pergunta naquela época. De lá para cá, estamos mantendo a tradição”, diz Beto.

A Bateria do Bloco é composta por foliões de Penha, Itajaí, Brusque e Balneário Camboriú, que usam os instrumentos tradicionais da Carnaval – caixa, surdo, malacacheta, chocalho, cavaquinho e violão –, para animar a festa. Os enredos e as letras do Samba do Bloco são escritos em homenagem a pessoas ou instituições marcantes da História de Penha, e em sua maioria criados pelo também Folião e puxador de Samba Edu Leite, irmão de Beto. Vez ou outra as letras têm participação de outros indivíduos, mas Edu mantém a tradição de composição já a alguns anos.

Já receberam Homenagem através do Bloco as personalidades: o Tenente Milton Fonseca, a Professora Bernardina Cordeiro, o Folião Picucho Santos, o popular “Seu Benedito”, o carismático “Semsém”, o cidadão inigualável Anísio dos Santos, o Prefeito “da Armação” Evandro, os Escritores Cláudio Bersi e Tilinho, os próprios irmãos Foliões Edu e Beto Leite, etc. Também as entidades Sociedade Esportiva Beira Mar, os Foliões do Bloco “Mulheres de Tromba”, a Armação do Itapocoróy, os Pescadores, os 500 Anos do Brasil, o Colégio João Batista Paiva e até mesmo o próprio Bloco dos Sujos, em duas oportunidades, aos 18 anos e aos 25, nas suas Bodas de Prata.

Existe uma coisa muito certa: com o Bloco dos Sujos, a diversão é certa e a Tradição é mantida, promovendo a Cultura e homenageando nossa gente e nossa rica História!

Comente

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *